E Aí… Comeu? #100filmesquenaoprecisamosver

e ai comeu pipoca, cafe e cinema

Quando você vê pensa que o titulo diz sobre o que o filme se trata, mas não exatamente. Faz pensar que seria a historia de três amigos que contaria sobre suas varias aventuras sexuais, só que não.

O filme conta a historia de Bruno Mazzeo recém separado, Marcos Palmeira que acredita ser chifrudo e Emilio Orciollo Netto o único pegador do filme. No final das contas tudo se passa com eles na mesa do bar contanto sobre o seu dia ou sua vida sexual, que na verdade sempre vai girar em torno de uma mulher só, ou apenas falando sacanagem e repetindo a pergunta E Aí… Comeu? 

O que me fez odiar esse filme não foi o sexo, ou a expectativa deles contarem varias experiencias que iriam acontecer durante o filme, mais sim a falta de historia. O filme não segue um ritmo, não te prende, e ainda tem uma péssimo envolvimento do Fernando, personagem de Bruno Mazzeo, com a Gabi (Laura Neiva) que é uma adolescente. Nada haver. Continuar lendo “E Aí… Comeu? #100filmesquenaoprecisamosver”

Anúncios

Cilada.com – crítica

cilada

Tipico filme que parece ser melhor vendo o trailer.

Mais eu também não esperava mais que isso, e o motivo do filme ter ficado em um boa qualificação entre os filmes mais vistos no cinema é obevio e claro, o assunto principal do filme, que é Sexo.

Eu dou um ponto positivo para o Bruno Mazzeo que fez muito bem o seu papel, e também para a Fernanda Paes. Uma curiosidade é que o Bruno chama Bruno e a Fernando chama Fernanda no filme, rs.

Um personagem que eu gostei também é o Sandro, interpretado pelo Augusto Madeira, melhor amigo do Bruno ,ele é engraçado e usa girias em inglês, adorei.

Outro ponto positivo é a quase “naturalidade” em abordar o tema sexo, porém em um universo machista e bem estilo American Pie.

Maissss … meu como eu odeio filme apelativo que viaja na maionese, pra não dizer outra coisa né.

Cenas e um Roteiro exagerado fazem parte deste filme, que na minha opnião, dava pra ser melhor. Continuar lendo “Cilada.com – crítica”